HPV – O que é, como evitar e o tratamento

As doenças sexualmente transmissíveis(DST), são casos de extremo risco e preocupação entre a população. São diversas que se incluem neste grupo e nelas estão presentes desde as mais leves até mesmo as mais graves que podem até mesmo levar a óbito; uma delas é o vírus HPV.

Trata-se de um vírus considerado que causa sintomas percursores relacionados ao câncer, de garganta, ânus e câncer no colo do útero.

O mesmo atinge as mucosas e a pele. Ele é chamado de Papilomavírus, a sigla do mesmo é dada por conta do seu nome em inglês “Human Papiloma Virus”, dependendo dos lugares no Brasil ela ode ser chamada de outras maneiras, por exemplo:

  1. Verrugas vaginais;
  2. figueira;
  3. condiloma acuminado;
  4. crista de galo e cavalo de crista.

A cura dela é difícil de ser concluída, demorando até anos para ocorrer a conclusão.

Transmitida através do contato com a pele ou do contato sexual, os relatos de contração são muitos, na maioria deles a pessoa não sabe que possui o vírus.

HPV

Aproximadamente 85% da população contraí o vírus, sendo raros os relatos onde é preciso o processo de cura clínico, a maioria das pessoas são curadas naturalmente pelo organismo. No decorrer deste artigo, será apresentado informações detalhadas sobre esta doença; desde seus sintomas até seus métodos de tratamento.

O que é?

É uma das poucas doenças que podem ser transmitidas sexualmente, que possuem cura, o processo de cura dela é ocorrido a partir de medicamentos que fazem a cauterização dos sinais que aparecem na pele afetando homens e mulheres, tanto na, boca vagina como no pênis.

Dependendo do caso é possível que haja a necessidade de um processo cirúrgico envolvendo o vírus HPV (Human Papiloma Vírus). Os indícios podem desaparecer antes que o vírus saía completamente do organismo, em média o processo de cura com medicamento dura por volta de 1 ano e meio a 2 anos.

Quais as causas?

HPV (Human Papiloma Vírus), podendo ser transmitidos principalmente em contato sexual, que é a maneira mais fácil que ele tem de se propagar entre as pessoas. Só pelo fato do contato direto do pênis na vaginais acontece a transmissão, podendo ocorrer muito em sexo oral e também sexo anal.

Ele fica no organismo evitando se manifestar, por até 20 anos de idade, e não é preciso que os sintomas estejam presentes para que ele possa ser passado. Fatos que se assemelha a transmissão excessiva dele pela relação sexual, pois a maioria cerca de 90% das pessoas já não sabem se possuem o vírus.

HPV Causas

Outra situação que ocorre a contaminação é através do parto normal, se porventura a mulher tiver a verruga vaginal ela transmite facilmente o vírus para o bebê; diante desse fator, recomenda-se que o parto seja cesária para evitar o contato e transmissão para o bebê.

O contato direto com a pele, mãos e dedos podem ser uma possível maneira de transmissão, são situações raras de ocorrer, porém não são impossíveis; existem relatos de contaminações através deste método.

Existe uma forma de ser transmitido, que ocorrem poucas vezes que é o contato de verrugas produzidas pelo vírus ao tocar em tecidos como, camisetas, calças e outros meio de vestimentas podem ser transmitidas, quando alguém que possui a doença genital usou a roupa que foi emprestada para outras pessoas.

Quais os fatores de ricos?

Pessoas que tenham a rotina sexual ativa, principalmente se ela relacionar-se com diversos parceiros, há mais chances dela contrair o vírus, pois a chances dela ter relações sexuais com algum portador é alta, principalmente se ela possuir o habito de:

  1. Vida sexual precoce;
  2. Falta de exames de rotina;
  3. Diminuição do sistema imunológico;
  4. Sem uso de preservativos;
  5. Parceiros diversos;
  6. Presença de outras DST.

Fatores de câncer relacionado:

  1. Contraceptivos de uso prolongados e orais;
  2. Infecção;
  3. Outras DST presença;
  4. Gestações múltiplas;
  5. Fumantes;
  6. Radioterapia, imunossupressores e quimioterapia.

Diagnóstico

Se você notar lesões nas regiões genitais, ou verrugas surgindo de forma espontânea, procure um profissional para saber do que se tratam, se for caso de HPV o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível.

Existem diversos exames médicos no qual é possível localizar a presença do vírus, alguns deles são:

  1. Papanicolau – Consiste em um exame solicitado um ginecologista no qual é feito através de uma espátula apropriada para recolher amostras celulares do útero no qual posteriormente passam por uma análise no microscópio. Este exame não é capaz de identificar diretamente o HPV, porém ele tem como um dos objetivos identificar displasias na célula do útero onde são causados pelo mesmo.
  2. Biópsia – É um exame onde é feito para retirada de uma quantidade significativa do tecido sobre o qual pode apresentar a suspeita de infecção.HPV Diagnostico
  3. Colposcopia – Trata-se de um exame no qual se aplica um ácido no colo do útero, e posteriormente é analisado pelo colposcópio, que é um aparelho onde faz a análise do tecido afetado pelo ácido. As DST’s ficam visíveis por conta da acidez.
  4. Peniscopia – É um método utilizado através do ácido, assim cimo a Coloscopia, ele busca as pequenas verrugas no qual são impossíveis de ser identificadas normalmente, esta busca é feita através de um aparelho após a aplicação do ácido e a observação.
  5. Teste genérico PCR – Sua sigla representa em inglês polymerase chain reaction, traduzindo, “reação em cadeia da polimerase”, ele é feito utilizando amostras do vírus coletadas das possíveis verrugas para estar identificando o DNA do tipo específico da infecção pelo mesmo, assim como por outros possíveis micro-organismos também. Este exame é um processo mais demorado comparado aos demais, os resultados podem levar até 5 dias para ser apresentados.

Para cada caso, é um procedimento e tratamento indicado pelo profissional médico. Vale lembrar, que a automedicação incorreta pode oferecer diversos riscos para a saúde, ao pressentir qualquer sintoma, procure um médico.

Quais os tratamentos?

Os tratamentos podem ser variados dependendo dos meios de sinais que apresentam, os locais dos indícios pode influenciar nesse processo, existem algumas formas de tratamento:

  • Retirada das lesões:

A técnica mais usada é a cauterização feita por lasers, onde os sinais são retirados a partir de luzes que as queimam. Ela é feita com crioterapia, sendo assim ácidos, radiofrequência e gelos secos.

Como evitar?

Existem vacinas que ajudam na prevenção da HPV, são duas que são aprovadas pela Agência Vigilância Sanitária (ANVISA), disponíveis de forma comercial. Elas são chamadas de bivalente e de quadrivalentes.

HPV como evitar

  • Bivalentes:

A vacina bivalente ocasiona para que haja o aumento na proteção contra 2 meios, esses dois tipos do mesmo são classificados como 16 e a 18.

  • Quadrivalentes:

A vacina quadrivalente ocasiona para que haja o aumento de proteção contra 4 tipos, esses 4 são classificador como HPV 6, 11, 16 e 18. Os de HPV 16 e 18, são os responsáveis pelos indícios de câncer, principalmente o câncer de útero.

Tanto uma quanto a outra vacina, ajudam na prevenção dos 16 e 18, na maior parte dos relatos podendo agir prevenindo o câncer no útero, agindo positivamente em cerca de 65% dos casos.

É importante que mulheres que são a maior parte que possuem a doença genital mantenham a consulta no ginecologista em dia mesmo depois de tomar alguma das duas vacinas, para assim se caso ocorra a transmissão de outro tipo de DST, ela seja tratada imediatamente.

HPV como evitar?

As vacinas agem em funções como a criação de anticorpos responsáveis por combater os vírus. Muitas dessas vacinas são dadas para pessoas que possuem convenio no SUS, tomando geralmente na adolescência onde a vida começa a ocorrer.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (582 votes, average: 4,80 out of 5)
Loading...

Leave a Reply